circuito de palestras,
talks e encontros

precisamos
falar sobre
"NÓS"

É urgente. Precisamos falar de nós para nós mesmos. De nós para os nós também: os elos, os pontos de encontro, os enforcamentos, gatilhos, as táticas de defesa e paz, ou simplesmente os nós aparentemente cegos. Nós coletivos. Nós destrutivos. Nós como ensaio de humanidade – os gastos internos desnecessários, o cenário planetário e a nossa paisagem atual interna:

EGOlogia ou ECOlogia?

circuito de palestras,
talks e encontros

precisamos
falar sobre
"NÓS"

É urgente. Precisamos falar de nós para nós mesmos. De nós para os nós também: os elos, os pontos de encontro, os enforcamentos, gatilhos, as táticas de defesa e paz, ou simplesmente os nós aparentemente cegos. Nós coletivos. Nós destrutivos. Nós como ensaio de humanidade – os gastos internos desnecessários, o cenário planetário e a nossa paisagem atual interna:

EGOlogia ou ECOlogia?

o que é?

dispositivo de
encontros e diálogos com propósito

Sempre acreditei e continuo acreditando que é possível produzir propósito a partir dos encontros. Propósitos que são reais, práticos, conscientes e sensíveis ao mesmo tempo. A fricção entre histórias e anseios dos mais diversos podem ser a ponte para novas perspectivas e novos comportamentos frente à um mundo contemporâneo marcado pelo excesso e pela ansiedade, e, principalmente , por uma ilusória produtividade. O que, de fato, nos importa hoje? Quais são as nossas estratégias perante a vida e a vida de tantas(os) ligadas à mim e minhas escolhas? Quais destinos práticos eu ajudo construir no mundo? Meus desejos apontam para o melhor, mas e o meu comportamento? Para onde meus atos apontam?

Sensibilizado pelas questões atuais da Psicologia Corporal de Wilhelm Reich e da Ecopsicologia, decidi criar este circuito coletivo de encontros e saberes que tem como objetivo a sensibilização de um espaço prático de diálogos sobre NÓS e os nós internos atuais. Para isso, circulo pelo país em busca de humanas e humanos que destinam seus trabalhos num âmbito local ou global e que acrescentam consciência e energia livre aos nossos fluxos.

Nós

precisamos nos unir e traduzir modos autênticos de produzir energia limpa, tanto dentro quanto fora de nós. Por isso, escolhi visitar e unir-me à figuras que admiro no cenário local ou global a fim de criar novos campos de discussões sobre NÓS.

próximos encontros

em breve, um novo encontro!

o que nos inspira?

práticas de saberes e
revoluções coletivas baseadas na percepção de si

O modelo de inconsciente do Freud, a Janela da Alma do Jung, o fluxo vital orgástico de Wilhelm Reich, a vida como obra de Arte em Nietzsche, as raízes de cura da erveira Dona Flôr, a Cosmogonia das Estrelas dos Guaranis, O Anti-Édipo de Deleuze e Guatarri, as Ideias para Adiar o Fim do Mundo do líder indígena Ailton Krenak, o cinema interior de Jodorowysky, o silêncio de  Eckhart Tolle, a Revolução da Atenção de Alan Wallace, o arranjo vital dos Vedas, a reverência aos Apus deuses das montanhas dos Quíchuas, a vitalidade do vazio em Osho, e muitos outros.

Poderíamos listar outras inúmeras referências de humanas e humanos que nos convocam a expandir ou, muitas vezes, desconstruir nossas referências internas e nossos sistemas de crenças para novas, autênticas e frescas propostas de entendimento do mundo baseado na transformação da perspectiva interna. Mas um dado é um fato: a percepção de si realmente colore todas as outras sensações. Essa frase de Wilhelm Reich inspira nosso projeto com esta provocação que instiga um olhar curioso e reflexivo, uma dobra do mundo.

Frente às incontáveis tentativas em dar sentido, significado e ancoragem possível para as zonas misteriosas da nossa vida prática, muitos cientistas, filósofos, biólogos, psicólogos e sábios ancestrais avançaram em jornadas profundas de investigação da vida ao redor. Destaco aqui aqueles que, no cerne de suas perguntas, tomaram a si mesmo como objeto de investigação primeira.

Autores que colocaram o seu próprio sistema de referência em cheque, por vezes em choque, e que se dispuseram a mergulhar numa profunda transformação interna a partir do seu próprio enigma declarado pela vida. Não são referências assépticas de autores e mestrxs, mas sim, humanas e humanos destinados transformar o mundo a partir de si mesmo, visto que parece ser impossível criar uma ciência clara e prática sem antes conhecer e enfrentar as intensidades ocultas por trás dessas empreitadas investigativas.

É por esse motivo que tenho ido ao encontro desses humanxs conscientes de seu papel no mundo como forma de aposta num movimento simples e eficaz: a produção de campos conscientes a partir do encontro. Aproximações livres, abertas, leves para dialogarmos sobre nós e os nós.

sobre o facilitador

Diego Zanotti (CRP04/32863) é psicólogo corporal, Mestre em Artes, Cultura e Linguagens pela UFJF/MG com formação Clínica Corporal Reichiana, Somatopsicodinâmica e Gestalt Sistêmica. Diego atua pelo país em projetos de integração entre ciência & consciência unidos aos fluxos atuais. Cineasta e documentarista, também produz filmes com a temática da transcendência e ancestralidade, além de atuar com consultoria em mentoring em Comunicação Visual e Expressão Consciente. 

quer levar este
movimento para a sua cidade?

seja um colaborador!

manual da helper & produtor(a) local

Trabalho cada dia mais investigando e investindo em diversas formas de parcerias e colaborações tanto para meu trabalho quanto para os dos outros. Este grupo circula apoiado por pessoas que também acreditam na força de nossas descobertas juntxs e que se dispõem a manifestar este projeto.

Se você se interessou pelo grupo, fez o primeiro contato comigo e começou a mobilizar o público para que este nosso encontro aconteça, você é um helper. Já a produtor(a) local irá organizar e manifestar a logística/estrutura necessárias para o bom andamento do grupo.  Fale comigo e tire suas dúvidas!

entre em contato!