5 ANOS de imersões e pesquisas + 4500 KM rodados de takes e entrevistas + 250 HORAS 5 ESTADOS brasileiros entre vilas, quilombos, ribeirinhos 45 LOCALIDADES tradicionais 23 COMUNIDADES histórias INCONTÁVEIS

UMA JORNADA PELOS MITOS BRASILEIROS

Projeto do documentarista Diego Zanotti busca registrar as mais diversas histórias sobre os mitos da cultura brasileira

Cartografar e compilar narrativas míticas brasileiras. Esse é o objetivo do projeto Mitos Brasileiros, lançado em janeiro deste ano pelo documentarista Diego Zanotti no site mitosbrasileiros.com.

A proposta é registrar as mais diversas histórias, lendas e fábulas sobre os mitos da cultura brasileira a partir de imersões em diferentes territórios do país. O material será transformado em uma série cinematográfica especial dividida em 4 eixos: Feiticeiras e xamãs do Brasil profundo, Mitos de origem e fim, Os invisíveis: lenda e preconceito no Brasil e Cânticos Sagrados.

O projeto Mitos Brasileiros surgiu há 5 anos, quando Diego começou uma jornada em busca das raízes da cultura e da história do nosso país.

Tudo que eu tinha era uma câmera na mão e a fé no encontro. Com essas ferramentas, e a proteção das mestras que encontrei pelo caminho, pude conhecer um Brasil real, ancestral, fruto da luta diária do seu povo contra o massacre cultural a que tantas comunidades tradicionais são submetidas todos os dias”, afirma o documentarista.

O projeto tem como objetivo apresentar um cinema de protagonismo, ou seja, um cinema capaz de mostrar o valor das visões dos povos originários e tradicionais, na defesa de que o Brasil não é para ser pensado, mas sim vivenciado. Para isso, ele se apoia na potência da oralidade e da cultura brasileira manifesta.

Após 5 anos de pesquisa e mais de 4.500 km percorridos em 5 estados brasileiros, Diego lança o site do projeto Mitos Brasileiros e realiza uma chamada aberta para pessoas que queiram apoiar e fazer parte da equipe.

seta-para-baixo esquerda

qual o propósito?

narrativas afirmativas e mapeamento afetivo

A Mãe D’água do Rio das Cinzas, as feiticeiras xamãs deste profundo, as romarias apocalípticas do sertão catingueiro, a folia das almas no alto São Francisco,  os devotos de Canudos, a sombra do eclipse, a mãe do ouro, o profetismo tupi-guarani, o cumpadre d’água, o corre-fogo, o banditismo messiânico do cangaço, a queda do céu dos Yanomami…

Uma riqueza imensa que encontramos no coração do Brasil e que se apresenta frente ao etnocídio histórico e ainda presente no país, onde há um massacre brutal de uma cultura imposta a outra. Diante disso, uma ficha imensa nos cai, inspirados pelo líder indígena Ailton Krenak, de que o Brasil nem sequer foi descoberto ainda, e que só agora começamos a dar conta de que somos uma sucessão de invasões que se dão até hoje:

“O Brasil é uma invenção” 

Portanto, este projeto propõe cartografar e compilar narrativas míticas brasileiras, espontâneas ou clássicas, particulares ou coletivas, atuais ou ancestrais, como uma arca que leva consigo a semente de uma experiência de mundo única e um tanto reveladora.

seta-para-baixo esquerda

quem está por trás da iniciativa

DIEGO ZANOTTI é psicólogo transcultural e Mestre em Artes, Culturas e Linguagens, na linha de pesquisa em Cinema e Audiovisual, pela UFJF-MG. Atualmente, circula por jornadas híbridas entre o cinema, fotografia e processos integrativos de consciência, a partir de projetos que desenvolvam encontros de culturas e subjetividades. Após um mergulho etnográfico de alguns anos por comunidades quilombolas, indígenas, sertanejas, quíchuas e culturas de países latinos, Diego Zanotti deu início a uma pesquisa prática em torno das tecnologias ancestrais e contemporâneas de comunicação e presença, tomando como principal ferramenta o cinema como trabalho imersivo nas narrativas vivenciais.